DETALHES DA MODALIDADE BALLET CLÁSSICO

Ballet Clássico
A História do Ballet Clássico nos situa no tempo e no espaço de cortes européis, especialmente a corte francesa, praticantes do que na época era denominado de La Belle Danse. A dança neste período era vista como praxe aristocrática, acontecimento político e como arte. Entre os estudos que definiam a etiqueta da corte estavam a dança, a esgrima e a equitação, além dos estudos de música, filosofia, matemática, línguas e pintura.

Responsável pela ampliação e profissionalização do Ballet, o rei Luis XIV criou em 1661 a Academia Real de Dança e contou com a colaboração de 13 mestres para estruturar a dança e instruir os alunos.

Para que a movimentação dos bailarinos pudesse ocorrer com elegância de um lado para o outro o recurso foi manterem coxas e joelhos para fora, o que deu origem a um dos principais fundamentos da dança clássica, o en dehors. Os movimentos dançados naquele período foram codificados por Charles Louis Beauchamp, com nomenclatura em francês adotada até hoje.

Os balés apresentados na salas palacianas foram transferidos para os palcos, com posição elevada para melhor visualização, o que dos contribuiu, também, para a extensão vertical do movimento dos bailarinos, que se associou a outra característica estética do balé, a oposição à gravidade.

O programa de ocidentalização da Rússia, implantado pelo czar Pedro, o Grande, deu impulso à dança, e o balé, sob orientação estrangeira, consolidou-se no país. É deste período de expansão obras como “A Bela Adormecida”, “O Quebra-Nozes” e “O Lago dos Cisnes” de Marius Petipá, com música de Piotr Ilitch Tchaikovsky.

Entre os grandes mestres da técnica do Ballet podemos destacar Agripina Vaganova e Enrico Cecchetti. No panorama da dança mundial está Anna Pavlova, inesquecível no papel “A Morte do Cisne”, criado por Mikhael Fokine especialmente para ela. A expressão brasileira de maior destaque internacional é Marcia Haidée.

No Ballet Clássico além da apreciação da beleza estética das suas obras podemos encontrar muitos benefícios para aqueles que desejam praticá-lo sem o interesse na profissionalização. Entre os benefícios temos: o aumento da capacidade repiratória e cardio-vascular, aumento do tônus muscular, flexibilidade articular, alongamento axial, equilíbrio corporal, coordenação motora, ocupação espacial, além dos estímulos sensoriais, criativos e emocionais.

DIRETO DO ANACÃ
VEM DANÇAR COM A GENTE
COMPARTILHE O ANACÃ NAS REDES SOCIAIS